sábado, junho 24, 2006

EM JOGO DRAMÁTICO, ARGENTINA VENCE O MÉXICO


Foram 120 minutos de pura emoção. Dignos de um filme de suspense, Argentina e México brigaram até o fim. Ao som de Beethoven, a prorrogação era o limite para as pernas de quase todos. O clímax foi atingido com a bomba de Máxi Rodríguez: capricho do destino, que reservou a um jogador apagado na partida, a glória da classificação mais sofrida da Copa. Deixando Alfred Hitchcock morrendo de inveja, a partida Argentina 2x1 México entra para a história das Copas do Mundo.
A trama começou logo aos 6 minutos, quando Rafa Márquez acertou o gol de cabeça. A surpresa foi geral, pois todos apostavam em larga vitória argentina. Daí em diante, a Argentina cresceu no jogo e logo aos 10 minutos, Crespo marcou um gol chorado. E foi assim até os 8 minutos do 1º tempo da prorrogação, quando o até então coadjuvante Máxi Rodríguez entrou em cena e colocou fim no drama argentino. Pior para os mexicanos, que acreditavam na disputa de pênaltis e ainda sonhavam com a classificação.
É complicado traduzir um suspense tão intrigante em táticas. Mas pode-se dizer que a Argentina não foi a mesma dos outros jogos na competição. E por quê? A resposta parece óbvia. Foi por causa de Riquelme que a Argentina não funcionou contra o México. Os laterais também não funcionaram. Especialmente Sorín, que deveria ser referência nas jogadas de contra-ataque, mas só apareceu na prorrogação, quando o México abriu uma avenida e acabou traído. A valorização da posse de bola por parte do meio campo argentino foi excessiva. A equipe só finalizou 5 vezes ao gol.
Enfim, não gostei da Argentina de hoje e temo pela desclassificação na próxima fase. A Alemanha deu um show hoje, enquanto os argentinos quase ficaram de fora da Copa por descuido no ataque. Mas fico extremamente feliz por ter a oportunidade de reviver um clássico entre Alemanha x Argentina em Copas. Que juntem todos: Hitchcock, Kubrick, Coppola e até Chaplin; o espetáculo vai começar.

Notas:

Argentina

Abbondanzieri: 6
Scaloni: 4
Ayala: 6
Heinze: 4
Sorín: 6
Cambiasso: 5
( Aimar): 5
Mascherano: 7
Maxi Rodriguez: 7
Saviola: 3
(Messi): 6
Crespo: 5
(Tevez): 6


México

Sanchéz: 8
Salcido: 7
Rafa Márquez: 8
Osório: 5
Méndez: 4
Morales: 3
(Zinha): 5
Castro: 6
Pardo: 4
(Torrado): 7
Guardado: 5
(Pineda): 6
Fonseca: 4
Borgetti: 5


Árbitro

Massimo Busacca (SUI): 5

1 Comments:

At 10:08 PM, Blogger Caio Motta said...

Adorei essa minha coluna!!!!!!

 

Postar um comentário

<< Home