terça-feira, junho 13, 2006

Sem essa, Parreira!

Kaká salvou a seleção de sair de Berlim com um empate

“Pelo tempo de preparação, o Brasil foi excelente”
, foi assim que Carlos Alberto Parreira analisou a estréia da seleção na Copa. Um 1 a 0 apertado, no sufoco.

Discordo completamente dele. O que o Brasil produziu em campo não condiz com o favoritismo atribuído à equipe. Isto porque a seleção não fez nada a mais que outras boas seleções fizeram em suas estréias, jogou "pro gasto". A estréia ainda mostrou que há muito o que se corrigir, como o posicionamento dos armadores e da pesada dupla de ataque.

Os destaques foram: Kaká, autor do gol da vitória, e a defesa em geral, que fez uma partida segura. Pela Croácia, Prso representou uma ameaça constante aos defensores brasileiros, principalmente quando caía pela ponta direita. O destaque negativo ficou por conta do atacante Ronaldão, que foi praticamente nulo em campo; e quando Robinho entrou em seu lugar no segundo tempo, a seleção ganhou bastante quanto à movimentação.

Com exceção à República Tcheca, nenhuma seleção apresentou um futebol realmente convincente. Todas que estreiaram mais ou menos bem deixaram apenas um sentimento de que as coisas devem melhorar passado o nervosismo da primeira rodada.